31 de mar de 2011

Calendário maia não profetiza fim do mundo, diz antropólogo

Pesquisador exibe peça para desmentir a interpretação de que os maias previram o fim do mundo em dezembro de 2012

 Veja.com

O fim do mundo foi adiado mais uma vez. José Luis Romero, subdiretor do Instituto Nacional de Antropologia e História do México, apresentou nesta terça-feira (29) em Tabasco, sudeste do México, os restos do calendário maia interpretado erroneamente como profecia de que o mundo vai acabar em dezembro de 2012.
Os rumores sobre o apocalipse maia tiveram início quando circulou a informação de que na peça, feita de pedra calcária e achada incompleta, está gravada a data de 23 de dezembro de 2012. A descoberta serviu de mote para o filme 2012, estrelado por John Cusack.
Mas Romero garante que a data não tem nada a ver com o fim do mundo. "Do pouco que podemos observar, em nenhum de seus lados está escrito isso", enfatizou. De acordo com ele, a data se refere ao fim de um ciclo de seu calendário e o início de uma nova era.
A civilização maia já existia no século 15 a.C. e chegou ao seu auge entre os anos 200 e 900 d.C. Floresceu onde hoje se localizam México, Belize e El Salvador e ocupou um território que chegou a mais de 300 mil quilômetros quadrados. Os maias se notabilizaram pelas grandes cidades, com pirâmides de até 45 metros de altura, palácios suntuosos, praças esportivas e banhos públicos, e pelos vastos conhecimentos de matemática e astronomia. Até 1582, tinham um calendário mais preciso que o europeu. Quando os espanhóis chegaram à América, a civilização já havia entrado em declínio por conta de disputas internas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails