18 de mar de 2011

R7 entrevista o Guitarrista Brasileiro da Shakira o Gaúcho Grecco Buratto

"A gente se fala em português", diz guitarrista brasileiro da banda de Shakira, Grecco Buratto

Entre os oito integrantes da banda da estrela colombiana Shakira, temos uma presença brasileira.



Trata-se do guitarrista gaúcho Grecco Buratto, que começou a tocar com a diva no final de agosto de 2010.
Mas o currículo desse talentoso músico  vai muito além disso.

Há mais de dez anos na estrada e vivendo nos Estados Unidos, Buratto já fez shows e participou de gravações com artistas do porte de Enrique Iglesias, Pink, k.d. Lang, Boyz II Men, Airto Moreira, Flora Purim e inúmeros outros.

Além de acompanhar astros do pop, ele também está preparando seu primeiro disco solo, previsto para ser lançado em 2012.
Em entrevista exclusiva ao R7, Grecco Buratto fala sobre a turnê com Shakira e relembra momentos importantes de sua carreira.

R7- Como você entrou no meio musical e o que te levou a se mudar para os Estados Unidos?
Grecco Buratto
- Ganhei um violão com sete anos de idade. Aos 12, vi o catálogo de uma escola de guitarra em Los Angeles e decidi que meu objetivo seria estudar lá. Fui me preparando para isso, estudando guitarra e violão. Participei de um concurso feito pelo Bar Opinião, em Porto Alegre, e entre 60 concorrentes consegui vencer. Isso me animou. Depois de muita batalha, consegui ir para Los Angeles. Lembro que logo ao chegar perdi as malas, mas não desanimei. Sou uma pessoa muito determinada.

R7 - Como foi esse período de estudos em Los Angeles, e a partir de quando você conseguiu se enturmar no concorrido meio musical americano?
Buratto
- Na escola, o Musicians Institute, estudei com muita dedicação, especialmente guitarra rítmica, no estilo da funk music americana. Essa escola incentivava a formação de bandas internas, queriam que alguma delas assinasse com uma gravadora, e eu criei uma. Aos poucos, fui fazendo contatos.

R7- E qual foi o primeiro grande nome com quem você tocou?
Buratto
- Eu conheci o diretor musical do Sergio Mendes, e comecei a participar de gravações com ele e outros artistas. E em Los Angeles sempre rolam muitas gravações, tem muitos estúdios por lá. Por volta de 1999, 2000, planejei que conseguiria pelo menos uma gravação por semana. O Renato Neto, tecladista brasileiro que toca com o Prince, também me chamou para alguns trabalhos, sendo que um dos primeiros foi com o grupo Boyz II Men. Aí, surgiu outra com a Pinke por aí foi. Entre 2001 e 2003 eu passei a integrar a banda do Sergio Mendes.

R7 - Antes de tocar com a Shakira, você teve uma experiência de acompanhar em shows o Enrique Iglesias. Conte como foi.
Buratto
- Antes de tocar com ele, eu fiz shows com a Anastacia em uma turnê pela Europa, em 2005. Conheci uma outra estrutura, o que aumentou o meu nível de exigência. Aí, me apresentei com a Christina Aguilera e Macy Gray. Meu primeiro show com o Enrique Iglesias na Europa foi na Espanha, para 100 mil pessoas, em uma praia. Em 2007, trabalhei só com ele. As turnês que fiz com o Airto Moreira e a k.d. Lang também me ensinaram muita coisa.

R7- Como você entrou na banda da Shakira, e como está sendo essa experiência?
Buratto
- Quem me convidou foi o Brendan Buckley, que toca com ela há dez anos.Fiz um teste gravado no Canadá em vídeo que foi visto por ela, que me aprovou. Comecei a tocar com ela no final de agosto, e já fizemos mais de 50 shows juntos.

R7 - Fale um pouco sobre como funcionam os shows com a cantora colombiana.
Buratto
- É um trabalho muito grande em termos de exposição. Só para você ter uma idéia, com a k.d. Lang eram usados um ônibus e um caminhão para levar equipe e equipamentos. No caso da Shakira, esse número é de 15 caminhões e sete ônibus. São 70 pessoas na equipe. Com o Enrique Iglesias já era algo nessas proporções.

R7 - Como é atuar em meio a algo tão grande?
Buratto
- É preciso ter muita concentração, pois a música é só uma parte do show, que tem coreografias, luzes, palco enorme, telões etc. Foram três semanas ensaiando o show todo, para ver o que funcionava ou não.

R7 - E como tem sido sua relação com essa grande estrela?
Buratto
- Ela tem sido super-legal comigo, a gente inclusive se fala em português. A Shakira é uma artista muito versátil, o som dela tem rock, flamenco, electro, pop, ela gosta de muita coisa, mas canta do jeito dela. Não tem como classificar o que ela faz. Somos oito músicos na banda e é tudo muito dividido entre nós. Acho que a versatilidade e o jogo de cintura me ajudam bastante a dar conta do recado.

R7 - Tem alguma parte do show de que você goste mais?
Buratto
- Gosto muito da primeira metade do show, que é mais roqueira, e da parte acústica, que inclui flamenco, charango etc. No fim, são os grandes sucessos. A duração é em torno de 1h40. Já vi pessoas com bandeiras brasileiras, sempre me procuram nos bastidores, sinto-me representando o Brasil.

R7 - Você está preparando um disco solo. Fale um pouco sobre ele.
Buratto
- O meu CD tem como foco o Grecco compositor e cantor, tanto que não terá guitarra elétrica, só toco violão no disco. Não queria encher o álbum de partes de guitarra para satisfazer o meu ego, não faria sentido. Eu me preparei muito para fazer esse trabalho, estudei canto, aprendi a ser homem de frente (front man). Gravei muitos teclados vintage, sintetizadores, bandolins, orquestra. Meu plano é acabar a gravação do CD este ano e lançá-lo em 2011, só faltam três músicas e gravar a orquestra em três outras. Comecei a gravá-lo em 2008.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails